Tradutor

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Teologia da Conformidade 245
A justiça própria dos homens. Parte 2
Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.” Mt 5;17
Jesus veio para cumprir a Lei. Temos diante do Pai, um sumo sacerdote que se compadece das nossas fraquezas; tendo sido tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. (Hb 4;15). Pois tendo sido tentado em todas as coisas, ele é poderoso para socorrer os que são tentados (Hb 2;18).
Não nos baseemos em nossa justiça própria; e nem nos nossos próprios méritos, pois não temos nenhum. Mas sim no mérito de Jesus Cristo. Que é a nossa justiça, perante o Pai, e Deus Eterno.
Vivenciamos tempos trabalhosos, onde os valores são invertidos, a justiça por sua vez tem sido parcial e negligente. Onde aqueles que possuem dinheiro e poder, são poupados de serem penalizados e a justiça não é feita, ficando impunes pela justiça dos homens.
Tomemos por exemplo à parábola do juiz iniquo proferida por Jesus:  Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus, nem respeitava homem algum. Havia também, naquela mesma cidade uma viúva que vinha ter com ele, dizendo: Julga a minha causa contra o meu adversário. Ele por algum tempo, não quis atender; mas, depois, disse consigo: Bem que eu não temo a Deus, nem respeito homem algum; todavia como esta viúva me importuna, julgarei a sua causa, para não suceder que, por fim, venha molestar-me.
Então disse o Senhor: Considerai no que diz este juiz iniquo.
Não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los?
Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Lc 18; 2 a 8
Muitas das vezes nos indignamos com as injustiças. E algumas dessas injustiças vêm daqueles que se dizem religiosos, que com os seus escândalos afrontam as pessoas e o próprio Deus.
São aqueles que como o juiz iníquo, não temem a Deus, onde suas consciências foram cauterizadas pelo diabo e por suas ações escandalizam a muitos.
Jesus nos alertou sobre os escândalos: “Aí do mundo, por causa dos escândalos; porque é inevitável que venham escândalos, mas aí do homem pelo qual vem o escândalo!” Mt 18;7 – Principalmente por aqueles que se dizem arautos e falam em nome do Senhor. Esses devem temer o mais duro juízo sobre eles, caso não procedam corretamente. Pois o Senhor não faz acepção de pessoas. E cada um julgará segundo o seu proceder.
Deus considera a justiça do homem, como trapo de imundícia. (Is 64;6)
Como próprio apostolo Paulo que era seita dos fariseus, discípulo de Gamaliel, descreve-se assim: “ Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais; circuncidado no oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto á lei, fariseu, quanto ao zelo perseguidor da igreja, quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.
Mas o que para mim era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede da lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé”. Fp 3; 4 a 9
Amados, devemos buscar sempre a justiça que procede de Deus. Basta que com a oração e suplica, busquemos naquele que pode atender plenamente a nossa sede justiça. Que possamos orar para que, logo todo mundo venha ser objeto da justiça de Deus.
Que o engano seja desmascarado, pois a mentira não poderá prevalecer contra a verdade. Pois Deus é justiça!
A Palavra de Deus é a verdade. E Jesus nos disse: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. Jo 8;32
Devemos sim, sermos prudentes em nosso parecer. Que não venhamos a julgar segundo aparência, e sim pela reta justiça. ( Jo 7;24)
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה
Pr. Yosef di David Vidigal Borges

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Teologia da Conformidade 244
A justiça própria dos homens. Parte 1
Bem aventurados aqueles que têm fome e sede justiça, porque serão fartos”. Mt 5;6
Hoje, mais do que nunca o mundo clama por justiça! Quantos se consideram injustiçados, pois não encontram justiça para as suas causas. Cada vez mais, os homens estão desiludidos, com justiça própria do homem, pois é uma justiça parcial. Principalmente os menos favorecidos. Porém, Jesus nos garantiu que para aqueles que têm fome e sede justiça, esses serão fartos.
Sentir fome e sede faz parte da natureza humana. É uma necessidade básica que precisa que ser satisfeita para todo ser humano.
Jesus presenciou na sua época, como a justiça era exercitada por aqueles que detinham o poder. Ela praticamente não existia para elite religiosa, para os ricos e para os governantes, que eram corruptos e parciais nos seus julgamentos, tanto que o seu julgamento feito por Pilatos, foi uma fraude, pois o próprio juiz achava o acusado inocente, mesmo assim condenou Jesus a cruz por causa da elite religiosa que incentivou ao povo a pedir a condenação de Jesus.
Quando Jesus falava de uma justiça plena, essa, só se realizará quando ele reinar neste planeta.
Justiça tem muito haver com tribunal, condenação, pagamento, juiz e réu. A justiça humana baseia-se em leis estabelecidas e criada pelo próprio homem de acordo com a sociedade. Tanto que de acordo com determinado país uma lei pode punir uma mulher de dirigir um carro e em outro país, essa lei não tem sentido algum, pois é natural a mulher dirigir um veículo. Vemos assim que as leis são parciais. Porém, quando uma lei vai contra a liberdade ou livre arbítrio dos homens, essa lei é radical.
Tomemos por exemplo o Islã. Objetivo final do islamismo é subjugar o mundo e regê-lo pelas leis islâmicas, mesmo que isso necessite matar e destruir “infiéis ou incrédulos” da religião. Segundo eles, Alá deixou dois mandamentos importantes: o de subjugar o mundo militarmente e matar os inimigos do islamismo – os idolatras (seriam os judeus e cristãos).
Fazendo-se uma comparação com que Jesus disse em relação aos nossos inimigos: “Ouviste que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem.” Mt 5; 43 e 44
Os dois mandamentos que Jesus deixou foi: “Amaras o Senhor, teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é; Amaras o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda Lei e os Profetas.” Mt 22; 37 a 40
Interessante o que o profeta Maomé fala em relação o que Alá acha em relação aos seus inimigos é de matar e impor o Islã pela força. O que Jesus disse é de amar o inimigo e orar por aquele que nos persegue.
O questionamento é esse: Será que Alá é o mesmo Deus da Bíblia o qual Jesus estava se referindo?
Se Alá é o verdadeiro deus, então, o Deus da Bíblia é um falso Deus. Porém, os milagres que ocorreram através de Jesus e as profecias feitas na Bíblia, que estão se cumprindo cabalmente, demonstra o contrario.  
Quem está com a razão?
Faça uma reflexão do que fala Maomé e do que fala Jesus.
De maneira alguma Deus nunca se contradiz naquilo que fala. Se Deus é amor. “Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.” 1 Jo 4;8 – Aqueles que pregam o ódio, a intolerância, e desrespeito as convicções pessoais das pessoas, de maneira alguma conhece ao Deus verdadeiro. Aquele que amou o mundo de tal maneira, deu o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados, para houvesse reconciliação entre Ele e os homens. Esse é um Deus de amor.
A justiça será feita por Deus, após o julgamento de cada um de acordo com as suas obras. Pois quem convence o homem do pecado, da justiça e do juízo é o Espirito Santo.
Jesus nunca pregou que fizéssemos justiça por meio da força e pela imposição das armas. Tanto que ele afirma: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido vos medirão também.” Mt 7; 1 e 2 
O que o Senhor Jesus está afirmando que o nosso julgamento será sempre parcial; baseamos-nos no que vemos. E aquilo que vemos é o aparente. Porém, o julgamento de Deus é integral, pois sonda a mente e o coração do homem. Deus sabe o que se passa no interior do homem. Enquanto que nós vemos, apenas de forma superficial segundo os nossos conceitos pessoais, que muitas das vezes são preconceituosos.
A Palavra de Deus afirma: ”O julgar parcial não é bom” Pr 24;23
Sendo assim, Amados, devemos ser vigilantes quanto a qualquer julgamento. O nosso parecer deve sempre seguir o que é dito pela Palavra de Deus. Mesmo assim, devemos ser cautelosos!
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה

Pr. Yosef di David Vidigal Borges

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Teologia da Conformidade 244
A Misericórdia e a compaixão de Deus.
Disse Deus a Moisés: Terei misericórdia de quem aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão” Rm 9,15
Sabemos que o nosso Deus é rico em misericórdia e tem sido paciente para com os homens que de forma acintosa transgridem os seus mandamentos, praticando coisas abomináveis. Deus é paciente para com a humanidade de ainda retardar o juízo sobre toda a terra.
As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã.” Lm 3,22 e 23.
Porém até quando o Senhor irá reter o juízo sobre os homens?
Até quando o Senhor deixará o homem agir de forma insensata e louca?
Não sabemos!
Sabemos de uma coisa!
É a igreja do Senhor Jesus Cristo que está retardando o juízo de Deus sobre a terra. Esse juízo será tão avassalador que até os céus serão abalados.
Para ciência, pelas constantes observações do espaço sideral, a terra poderá ser afetada pelas constantes alterações do universo.
Os profetas do antigo testamento, já relatavam tais fenômenos que vão acontecer.
Isaias relata no capitulo 13; 9 a 11: ”Eis que vem o dia do Senhor, dia cruel, com ira e ardente furos, para converter a terra em assolação e dela destruir os pecadores. Porque as estrelas e constelações dos céus não darão a sua luz; o sol logo ao nascer, se escurecerá, e a lua não fará resplandecer a sua luz. Castigarei o mundo por causa da sua maldade e os perversos, por causa da sua iniquidade; farei cessar a arrogância dos atrevidos e abaterei a soberba dos violentos”.
No século XIX e no início do século XX, achava-se que o universo era infinito e eterno. Hoje, sabe-se que o universo teve um começo e terá um fim. A ciência mesma comprova isso. Muitos céticos quando liam na Bíblia tais passagens, achavam que era delírio do profeta. Que isso nunca iria acontecer. Hoje com o conhecimento adquirido pelas constantes observações do espaço sideral, tais comprovações são verdadeiras e reais. Hoje não se tem duvida que algo mencionado por Isaias e outros profetas, tem grande chance de acontecer.
Isaias continua: “Portanto, farei estremecer os céus; e a terra será sacudida do seu lugar, por causa da ira do Senhor dos Exércitos e por causa do seu ardente furor”. Is 13;13
A dimensão da ira do Senhor será tão grande, que absolutamente tudo será abalado e deixará de existir.
Qual livro entre as demais religião poderia proferir revelações tão assustadoras e com tanta precisão?
Como então é grande a responsabilidade da igreja para esse mundo, que através da sua ação possa retardar o juízo de Deus sobre toda terra?
Por isso, Jesus sempre alertava: Vigiai e orai para não serdes pego de surpresa!
Para que você e eu não venhamos ser negligentes com a ordenança do Senhor. Deixarmos de nos congregar. De termos tempo para Deus. Deixarmos as demais coisas e priorizarmos o reino de Deus e a sua justiça!
Sabemos que Deus jamais inocenta o culpado (Na:1;3). Aqueles os quais estiverem despercebidos serão tragados pelo juízo de Deus juntamente com os ímpios.
Porque aos que me honram, honrarei, porém os que me desprezam serão desmerecidos” 1 Sm 2;30.
Jesus alerta: “Acautelai-vos por vós mesmos, para que nunca vos suceda que o vosso coração fique sobrecarregado com as preocupações deste mundo, e para que aquele dia não venha como um laço. Pois há de sobrevir a todos os que vivem sobre a face da terra. Vigiai, pois, todo tempo, orando para que possais escapar de todas estas coisas que têm que suceder e estar em pé na presença do filho do homem”. Lc 21; 34 a 36.
Amado, vigiemos em tudo que a Palavra de Deus nos alerta, para que não sejamos negligentes, para quando a trombeta tocar estejamos preparados para subir com o Senhor. Procuremos nos apresentar diante de Deus aprovados, como obreiros que não tem do que se envergonhar, que manejemos bem a palavra de verdade. Devemos aproveitar o tempo que nos resta para anunciar a Palavra da Verdade. Devemos no apartar das injustiças, pois o iníquo não herdará o Reino dos céus. Não sejamos coniventes com os pecados de outrem e nem de forma alguma imponhamos precipitadamente as mãos sobre aqueles que não andam de acordo com que a Palavra ordena, para que não nos tornemos cumplices de seus pecados. Devemos sim, nos conservar puros! ( 2 Tm 2;1 5 e 1 Tm 5;22)
Halleluyah!
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה

Pr. Yosef di David Vidigal Borges

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Teologia da Conformidade 243
O Terreno fértil para proliferação do mau.
Aqueles que procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve.” 1 Jo 4; 5
A cada dia ficamos estarrecidos por aquilo que falam alguns líderes religiosos cristãos, que chega ao ponto de negar a fé e fazer pouco caso da Palavra de Deus, como se essa Palavra estivesse obsoleta e ultrapassada. Porém, esqueceram que a própria Palavra de Deus fala a respeito deles: “Assim como no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até o ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmo repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será inflamado o caminho da verdade.” 2 Pe 2; 1 e 2
Porque isso acontece?
Na maioria das vezes tais pessoas, ainda não experimentaram um verdadeiro encontro com Senhor Jesus. Deixam-se levar pela vaidade, a soberba e orgulho, por isso, são suscetíveis ao engano, pois acham que a glória é sua. Porém, a Palavra é bem clara a esse respeito: “A minha glória, diz o Senhor, não a dou a outrem” Is 48;11b
Sendo assim, o terreno passa a ser fértil para as sementes do mal proliferarem neste mundo que jaz no maligno. Pois Satanás esta usando os seus agentes que estão no meio da Igreja, com a única finalidade de destruir a Igreja de Jesus. Outra vez esqueceram o que Jesus disse: “Sobre essa pedra (Cristo) edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Mt 16;18
Qual então é a estratégia do maligno?
Introduzir no meio da Igreja, heresias destruidoras. O fermento que Jesus sempre alertava aos discípulos que tomassem cuidado.
Em geral, essas heresias vêm na forma de algumas Teologias, pensada por algum agente do diabo. Tomemos por exemplo a Teologia da Libertação, que apresenta um viés de esquerda usado com a única finalidade de denegrir a doutrina verdadeira. A Teologia da Libertação é um inimigo mortal da verdadeira Igreja, pois visa “cristianizar” politicas de violência e exploração revolucionaria, negando a redenção pessoal e o poder regenerador de Jesus Cristo. Usa-se um arcabouço das causas sociais para angariar adeptos, e com isso, usarem as pessoas, com o objetivo de implantarem o comunismo. É publico e notório que o marxismo, esgotou-se e não consegue convocar pessoas para o sacrifício por convicção moral. É tão suscetível a corrupção como os governos ditos capitalistas. O comunismo se impõe pelo medo, pelo amor ao poder ou simplesmente cooperando com quem lhe oferece menor resistência.
Para chegar ao seu intento, usa a religião ou os religiosos os quais podem cooptar para serem seus porta-vozes. A estratégia foi dada pelo próprio Lenin: “Encontraremos o nosso terreno fértil para infiltração do marxismo no campo da religião, porque as pessoas religiosas são fáceis de enganar e acreditam em quase tudo, desde que venha embalado numa linguagem religiosa”. 
O “Capitalismo selvagem” dá combustível para que o comunismo/socialismo venha angariar muitos adeptos, devido a sua exploração na classe menos favorecidos. Alguns teólogos da libertação são bem intencionados ao revelarem uma genuína preocupação com a exploração dos pobres. Sendo assim, usam do slogan: “Governo do Povo”, porém, a realidade é bem outra. Serão poucos que irão usufruir das benesses do poder. E, os comunistas para perpetuarem no poder usam de governo totalitário, para manter o povo em rédea curta, para que os trabalhadores sejam ainda mais explorados.
Temos alguns exemplos disso: Países da América central, africanos e asiáticos, que adotam esse sistema de governo, cujos povos na sua maioria passam fome e necessidade, onde apenas uma elite que está no poder se beneficia.
A própria elite esquerdista americana reconhece que uma sociedade não consegue permanecer unida sem o combustível moral da religião para fazê-la funcionar. Como a massa está levedada pelo fermento do engano usa-se do meio religioso para difundir no meio cristão, heresias destruidoras, com a finalidade de deixar os fiéis no cabresto, sendo manipulados nas suas necessidades, emocionais, espirituais e materiais. São presas fácil para o lobo.
Os líderes, aqueles que ainda não se corromperam devem alertar o rebanho, segundo o que Jesus disse: “Eis que vos envio como ovelhas para o meio dos lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.” Mt 10;16
Amados! O povo de Deus tem uma arma que é a Oração. Não negligenciemos a oração, pois ela sempre será a nossa primeira linha de ataque e o único caminho certo da vitória. A oração muda às coisas. Embora seja a força mais poderosa na terra, ela é provavelmente a mais subutilizada também. A maioria dos cristãos a usa de forma construtiva, para que as coisas boas venham acontecer. Entretanto, no campo politico, a maior parte das nossas orações deve ser derrubar antes de construir. Tomemos por exemplo o profeta Jeremias, que orou contra os reinos apostata de seu tempo. E Deus lhe disse: “Olha que hoje te constituo sobre as nações e sobre os reinos, para arrancares e derribares, para destruíres e arruinares e também para edificares e para plantares.”  Jr 1;10
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה

Pr. Yosef di David Vidigal Borges


sexta-feira, 29 de julho de 2016

Teologia da Conformidade 242
O Perigo iminente das Religiões reacionárias.
Ora, o Espirito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, para obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a sua própria consciência.” 1 Tm 4; 1 e 2
Tais palavras do apostolo Paulo, inspirada pelo Espirito Santo, são oportunas para os dias que vivemos. Verdadeiramente, estamos nos últimos tempos, pois apostasia se generalizou em alguns ministérios cristãos. Degradação moral, obscenidades e os muitos escândalos que tem acontecidos. Quando lideres de ministérios cristãos se posicionam de forma contundente contra a Palavra de Deus, e alguns em seus arroubos e arrogância chegam a desacreditar até o que o próprio Senhor Jesus falou. É algo estarrecedor!
Não será por isso, que certas religiões, tem ganhado corpo devido à decadência de certos ministérios cristãos?
Quando Islã, atualmente com um bilhão e meio de praticantes, se expande como erva daninha na Europa e no Ocidente, onde seus líderes como arautos de Alá, dizem que o Islã é uma religião de paz. Quando vemos os atentados e grupos inspirados no Islã, ceifando vidas inocentes, não só em países dominados por essa religião, como alguns países do Ocidente que tem sofrido com ataques terroristas onde centenas de vidas inocentes têm morrido.
Será que podemos acreditar que o Islã é uma religião de paz?
Segundo a escritora Ayaan Hirsi Ali que nasceu na Somália que aos cinco anos, por uma tradição local, foi submetida a uma cliterectomia a extirpação do clitóris. Criada no Islã, de acordo com as tradições religiosas, se viu forçada pela família a um casamento com um primo distante que morava no Canadá. A caminho do Canadá fugiu e seguiu para Holanda onde pediu asilo onde estudou ciências politicas.
Segundo a escritora que conhece bem o assunto, apresenta um panorama dos argumentos comprometedores da estreita aliança entre teologia islâmica e terror islâmico, a qual chega à conclusão factual e testemunhal que o maometismo e perigoso em si mesmo, pela potencialidade ao fanatismo e ao pragmatismo dos terroristas internacionais na interpretação literal de textos sagrados do Alcorão. Afirmando que o Alcorão e a Sharia foram perigosos para as sociedades que acolheram devido ao seu viés fundamentalista.
A interpretação literal do Alcorão faz do Islã uma religião perigosa. Tal interpretação passa a ser aceita pelos seguidores, que o Islã é a única religião verdadeira, onde Alá é o único deus. Mesmo o Islã dividido em três vertentes principais, que são os Sunitas, Xiitas e Sufis, existem diferenças entre eles que os leva a lutar entre si usando para isso guerra e atentados terroristas a fim de impor ao outro grupo a sua interpretação do Alcorão.
Para escritora é insensatez que alguns chefes de estado do ocidente costumam fazer “eufemizando” os atos criminosos e violentos de extremistas maometanos. Esses atos não podem ser dissociados da doutrina islâmica que os inspiram e os motivam. É bastante relevante aceitar o fato de que tais realizações “martirizadoras” nascem de uma cosmovisão sociopolítica engendrada dentro do próprio cerne religioso islâmico. Pelo Islã ter se mantido imune a mudanças históricas e atualizações imprescindíveis para que a religião fosse mais sociável com o contexto do século XXI. Então, o islamismo é o retrocesso civilizatório e não apenas uma religião tacanha e obliqua, afirma a escritora.
A violência islâmica, não tem raízes em condições sociais, econômicas ou politicas, mas sim nos textos fundamentais do próprio islamismo. Tal afirmação feita pela escritora foi censurada e execrada e humilhada. Foi considera herege, não só por mulçumanos, mais também para os alguns liberais ocidentais que se melindram com esse tipo de pronunciamento insensível (Ali, 2015, p3).
Interessante, alguns grupos liberais da comunidade de ativistas gays e até mesmo a esquerda entre outros, defendem o Islã, contra aqueles que opõem contra o Islã os chamando de “islamofóbico”. 
A quem eles querem enganar?
E a comunidade gay seria bem recebida por aqueles que matam os gays de forma indiscriminada, só por eles serem gays?
E as mulheres que são discriminadas e colocadas em segundo plano, chegando a alguns países, de proibir que venham a dirigir?
São tais contra censos que não dar para acreditar que essas pessoas falem a verdade, ou são apenas retóricos para enganar se possíveis os incautos.
O historiador Paul Johson, referindo-se ao fundamentalismo islâmico, afirma que o Islã é fundamentalista na essência, pois a palavra Islã não significa paz, mas submissão.
É publico e notório que o Islã está em guerra contra todos judeus e contra todos os cristãos. E que o seu fundamentalismo, prega a imposição pela força para aceitação de sua religião. Para aqueles que não aceitam o Islã; são hereges e inimigos do Islã, merecedores de morte!
Pois, a palavra de Deus nos alerta: “Ninguém, de nenhum modo, vos engane porque isto não acontecerá sem que primeiro venha apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de se assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.” 2 Ts 2; 3 e 4
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה

Pr. Yosef di David Vidigal Borges

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Teologia da Conformidade 241
Conserva-nos em perfeita paz, ó Deus!
Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; pois confia em ti.” Is 26;3
Vivenciamos uma realidade onde os valores têm sido desvirtuados propositalmente com a finalidade de adequá-los aos conceitos do mundo. As pessoas procuram propósito para suas vidas, porém, não conseguem nesse mundo conturbado por ideias e ideais que não as satisfazem. Simplesmente a vida passa num emaranhado de sentimentos obscuro!
Hoje, para todos é necessário termo um firme propósito para que, não venhamos a ser levados pela ideologia do mundo. É importante que cada um tenha, os seus pés firmados na rocha. Essa rocha para nós que cremos, é Jesus Cristo.  
           O Caminho do justo é plano;
           o justo torna suave a senda dos retos.
           Seguindo a caminho dos teus juízos,
           depositamos nossa esperança em ti.
           O desejo de nossa alma
           é lembrar de ti e do teu nome.  Yesha’ yaru (Is 26; 7 e 8)
A paz está em focarmos no alvo. E o alvo é a suprema vocação em Cristo Jesus!
Esquecendo-se das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” Fp 3; 13 a 14
Algumas das vezes, exigimos de nós e das demais pessoas um determinado padrão. Porém, nem sempre tal padrão que pensamos, será o padrão que Deus requer de cada um de nós. Como o apostolo Paulo sugere: ”Andemos de acordo com o que já alcançamos” Fp 3; 16
Mas do que tudo, precisamos manter a esperança nas promessas do Senhor para que possamos continuar a caminhar. Jesus sempre nos alertou que o caminho era apertado. Eu creio que Deus é justo, não permitirá que percamos a paz, mesmo nos momentos mais difíceis. Que Ele nos confortará e nos direcionará e não nos deixará que fiquemos perdidos, pois a vereda do justo é plana. Pois é o Senhor, concede-nos paz, porque todas as nossas obras tu as fazes por nós (Is 26; 12). Porque é Deus quem efetua em nós tanto o querer como realizar, segundo a sua boa vontade. (Fp 2; 13)
Irmãos amados! Podemos se afligidos, julgados e muitas das vezes reprovados por aqueles que se julgam juízes de nossos atos, por irmos contra o sistema que foi criado pelo homem. O mesmo se dá dentro da “igreja”, por aqueles que determinam normas e costumes, como padrão. Aqueles que não seguem tais padrões são marginalizados e excluídos. Muito fácil seguir dogmas, doutrinas e preceitos de origem humana que até mesmo a Palavra de Deus condena. Basta olhar para Igreja Católica Apostólica Romana e outras; protestantes e evangélicas que para agradarem o mundo se corromperam aceitando prática que a Palavra de Deus condena. Será que precisamos compactuar com tais procedimentos?
Jesus se excluiu do meio religioso da época, corruto e hipócrita. Escolheu doze homens os quais passou a ensina-los a sua doutrina. Essa doutrina era contundente contra aqueles que diziam que falavam em nome de Deus. Quando o Senhor pregava nas sinagogas e no templo, era muitas das vezes escorraçado por aqueles que se diziam seguidores de Moises. Achavam que Jesus tinha demônio. E que não era de Deus, pois ia contra as tradições dos judeus.
Quem estava certo, os judeus ou Jesus?
Vivenciamos tal realidade em muitos ministérios, que deixaram entrar o “fermento do mundo” em seu meio. São coniventes com praticas condenáveis.
Não chegou a hora de voltarmos à origem dos ensinamentos de Jesus em se pregar o verdadeiro Evangelho do Reino de Deus?
Deixarmos de procurar agradar o homem e passarmos agradar a Deus?
Jesus quando se reportando a Igreja de Éfeso disse: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta a pratica das primeiras obras.” Ap 2; 4 e 5
O Senhor nos exorta a voltarmos ao primeiro amor, e as primeiras obras, as quais estavam centradas em sua pessoa e não em agradar os homens.
O Senhor requer de cada um de nós um posicionamento firme com relação a sua Palavra.
Não sejamos legalistas apenas cumprindo preceitos de homens, pois estes, para nada servem. É um paliativo em cauterizar consciência. Não sejamos meros religiosos, pois para Deus, não é isso que Ele requer de nós. Sejamos seguidores de Jesus, seus discípulos, e andemos nas pegadas de nosso Mestre!
Halleluyah!
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה

Pr. Yosef di David Vidigal Borges

sábado, 16 de julho de 2016

Teologia da Conformidade 240
Deus ainda continua no controle do Universo e da Terra.

Ao Senhor pertence a terra e tudo que nela se contém, o mundo e os que nele habitam.” Sl 24;1
A Palavra de Deus afirma de forma categórica, que tudo pertence ao Senhor Deus, que criou os céus e a terra. “Teus são os céus, tua, a terra; o mundo e a sua plenitude, tu os fundaste.” Sl 89;11 – Sendo assim, as tragédias naturais que comumente tem acontecido, são forma de Deus punir o homem por suas transgressões?
Deus faz com os fenômenos naturais destrutivos aparecerem?
Alguns poderão dizer que isso nada tem haver com Deus e a sua punição para com os homens, são apenas fenômenos naturais que surgem devido as mudanças climáticas as quais o mundo tem passado. Muitas delas, por causa da interferência do homem na natureza. Tais como poluição, exploração indiscriminadas dos recursos naturais, energia nuclear, contaminação dos rios e dos mares por metais pesados, etc...
Em grande parte, os seres humanos sempre fizeram mudanças no ambiente para garantir o máximo de aproveitamento dos recursos naturais que o meio possa oferecer. Além disso, modificamos o ambiente como uma forma de melhorar a nossa qualidade de vida, avançando em áreas destinadas para fauna e a flora daquela região. Alguns desses impactos são irreversíveis. Durante a história do homem, vários acidentes graves marcaram o meio ambiente de forma negativa. Diversos desses acidentes provocaram a morte de várias pessoas e outros seres vivos, além de afetar o ar, os ambientes aquáticos e o solo.
Existem vários argumentos que afirmam que homem é grande causador de vários desses fenômenos. Porém, existem fenômenos os quais os homens não podem explicar e nem detectar quando vão acontecer e aonde vão acontecer. São situações que fogem do controle, mesmo que haja estudo sobre tais fenômenos, continuam sendo mistérios as suas ações.
Deus pode intervir de forma contundente para alterar algo que para homem é impossível. Tal quando ordenou que Moises passasse pelo mar, fazendo com que esse mar se abrisse e o povo, pudesse passar. Quando Jesus ordenou que vento e mar se acalmassem no Mar da Galileia. São fenômenos que Deus interviu. Podemos assim afirmar que Deus age através do vento, do trovão, da chuva, do terremoto. A Natureza foi criada por Deus, sendo assim, ele pode intervir. Tal quando Elias ordenou não que não chovesse durante três anos e meio para punição do povo de Israel no reinado do Rei Acabe.
A exortação que faz para que se povo venha obedecer aos seus estatutos e as suas leis, para que tivessem a chuva para suas colheitas. “Eu (Senhor) vós darei as vossas chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua messe, e a árvore do campo, o seu fruto.” Lv 26;4
Sempre, Deus exaltava para que viesse a correr bem, para o povo de Israel era necessário que eles obedecessem aos seus mandamentos. “Guardai-vos não suceda que o vosso coração se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e vos prostreis perante eles; que ira do Senhor se acenda, contra vos outros, e feche Ele os céus, e não haja chuva, e a terra não dê a sua messe, e cedo sejais eliminados da boa terra que o Senhor vos dá.” Dt 11; 16 a 17
O pecado é causa da terra se rebelar contra os seus moradores, devido as suas abominações e praticas condenável pela Palavra de Deus. Temos assim o Diluvio (Gn 7 e 8). Fato comprovado pela ciência, como ocorrido. A destruição das cidades de Sodoma e Gomorra, onde as evidencias arqueológicas, confirmam as suas existências e as suas destruições. 
Deus pode assim agir através da natureza com a forma de punir uma nação, por causa de suas más ações.
Ele (Deus) converteu rios em desertos e mananciais em terra seca; terra frutífera, em deserto salgado, por causa da maldade dos seus habitantes”. Sl 107; 33 e 34
O Dia Senhor, segundo a Bíblia será um dia terrível. Um dia de juízo contra todo o mundo ímpio. Aqueles que não quiseram saber de Deus. Não aceita o plano de salvação através de Jesus seu Filho. “Eis que vem o dia do Senhor, dia cruel, com ira e ardente furor, para converter a terra em assolação e dela destruir os pecadores. Porque as estrelas e as constelações dos céus não darão a sua luz; o sol logo ao nascer, se escurecerá, e a lua não fará resplandecer a sua luz. Castigarei o mundo por causa de sua maldade e os perversos, por causa da sua iniquidade; farei cessar arrogância dos atrevidos e abaterei a soberba dos violentos.” Is 13; 9 a 11 – Tais palavras não denotam ação direta de Deus na natureza com objetivo de punir os homens?
Deus usará dos fenômenos celestes e também naturais desse mundo para punir as más ações de todos os homens numa escala global. As evidencias estão aí, para os céticos; aqueles que fazem questão de desdenhar da Palavra de Deus. Para esses o mais duro juízo será por causa da sua soberba e da sua arrogância.
Feliz a Nação cujo Deus é o Senhor, e o Povo que ele escolheu para sua herança.” Sl 33;12
Shalom Plena!
Ministério de Ensino Kehilah - ק ה י ל ה
Pr. Yosef di David Vidigal Borges